Bolívia: infecções alimentares

Já falei algumas vezes aqui no blog que, mesmo não comendo peixe, nada cru e nem bebendo água da pia, tive duas infecções alimentares nos meus dois meses de Bolívia. Nunca tinha tido nada do tipo no Brasil e sempre me orgulhei do meu estômago forte — pois é. O fato é que quase todos os brasileiros têm problemas estomacais na Bolívia, cheguei até a ouvir que “se você não teve nada, não foi na Bolívia”. Isso acontece porque a comida é diferente, não estamos acostumados com os micro-organismos de lá e também porque em muitos lugares a higiene é muito problemática. Vocês vão ver carne conservada ao ar livre, frutas  e vegetais pelo chão, enfim, a Bolívia é um país complicado para qualquer pessoa que tenha noções de vigilância sanitária, por exemplo. Divido algumas dicas que gostaria de ter tido nos momentos de desespero/gostaria de repassar:

  • Não comer na rua. Na Bolívia, vocês vão ver várias pessoas vendendo comidas na rua, lanches ou comida de verdade, eu não comi e, apesar de isso obviamente não ser garantia de nada haha, recomendo que façam o mesmo.
  • Cuidado com os sucos de rua. Eles são todos feitos com água da pia, o que pode ser muito prejudicial para quem não está acostumado. Eu bebi alguns para provar, são gostosos e diferentes, mas tentava sempre olhar mais ou menos as condições em que estavam armazenados. A gente tenta, né?
  • Comer frutas sem casca. Como vendem muitas coisas em mercados, as frutas ficam muito perto do chão sujo, de bichos, etc.
  • Não comer peixe. Na Bolívia não tem mar, então a maioria dos peixes vem do lago Titicaca. O prato típico de Copacabana é peixe, por exemplo, mas eu nem arrisquei por vários relatos que já tinha tido.
  • Não comer nada cru. Salada de alface, legumes crus, sushi, tudo isso pode facilitar as infecções.

Se acontecer alguma coisa:

  • Beba muuuuita água.
  • Apesar de ser difícil achar um frango grelhado com arroz e legumes cozidos pela cidade, os bolivianos são muito adaptáveis e queridos. Expliquem a situação em um restaurante que eles tentam ajudar de verdade e não cobram a mais por isso. Tive ótimas experiência nesse sentido.
  • Se você já tiver ido ao banheiro muitas vezes, convém começar uma reposição de água e minerais. Nas farmácias, é fácil encontrar um remédio chamado CURADIL, é uma bolsa com uma solução para esse tipo de reposição mesmo. Custa cerca de 15 bolivianos. A caixa é assim:

curadil

Tive que ir para o hospital em La Paz, liguei para o meu seguro e me indicaram a Clínica Alemana. É uma clínica particular, recomendo muito. A Dra. Anny Ordoñez é ótima, fala espanhol e inglês, e toda a equipe me ajudou muito. Algumas coisas são diferentes em relação ao Brasil, como não usarem luvas para tirar sangue e o atendimento ser feito naquelas salas com pequenas estações divididas por cortinas. No geral, foi uma boa experiência. Não me cobraram o primeiro atendimento, só o retorno para verificar os exames laboratoriais. A consulta foi 200 bolivianos e aceitam dinheiro, cartão de débito e de crédito.

Endereço da Clínica Alemana em La Paz: Av.6 de Agosto 2821

Dica: em espanhol, pelo menos na Bolívia, hospital = hospital público e clínica = hospital particular.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s