TOP 10 atrações turísticas em Londres

Londres é a minha cidade preferida e talvez por isso eu tenha demorado tanto a escrever sobre ela. Confesso que o principal motivo era a preguiça, já que de Londres realmente tenho muitas dicas e não sabia muito por onde começar. Decidi começar pelos 10 pontos mais turísticos e mais visitados  — sempre com minhas opiniões sinceras sobre. Eles não são as minhas coisas preferidas na cidade, mas servem como um norte para quem está indo pela primeira vez e curte esse tipo de passeio. Deixei os museus de fora para reunir todos em um post só. Alerta textão!

1. London Eye

london eye

A London Eye é a roda-gigante mais famosa do mundo. Ela foi inaugurada em 2000 e começou com uma competição do jornal Sunday Times, junto com uma organização ligada à arquitetura, para escolher uma nova construção para Londres. Dois arquitetos montaram o projeto da London Eye, que só saiu do papel quando a companhia aérea British Airways decidiu patrocinar a construção. A coisa legal da London Eye é que ela tem cabines que se movimentam de acordo com a rotação, o que faz com que a vista de Londres fique sempre linda. Sinceramente, não acho que rodar nela seja um must do. Já fui e a roda gira tão, tão devagar que você fica entediado. Não acho que valha a fila (quilométrica).

Dica: o ingresso da London Eye oferece 50% de desconto em outras atrações da cidade, geralmente o museu de cera Madame Tussauds e o aquário. Se informe.

Dica 2: na noite de ano-novo, os fogos na London Eye são a coisa mais linda do mundo. Já tive o prazer de virar o ano em Londres ouvindo as badaladas do Big Ben e é realmente incrível, vale muito a pena. Você tem que pagar para acessar a área, mas não é nada absurdo. Clica aqui se estiver precisando de um incentivo.

Horário de funcionamento: geralmente, de 11h às 18h. O site informa os horários, dependendo da época do ano, bem como se abre em feriados.

Preço: no site você encontra todos os preços, que começam em cerca de £20.

Estações de metrô mais próximas: Waterloo e Westminster. Eu sempre recomendo que as pessoas saltem em Waterloo e vão andando. Assim, você vai vendo as coisas aos poucos: primeiro a London Eye e depois do Big Ben. A estação de Westminster já te deixa na cara de ambos, acho menos construção de expectativa, haha.

2. Palácio de Westminster/Big Ben

london-bigben-1500x850

O Palácio de Westminster é a casa do parlamento inglês. Um dos cartões-postais da cidade, é realmente um must-see. Fica na beira do rio Tâmisa e saindo da estação de metrô de Westminster, você vai dar de cara com a construção. Não espere grandes coisas do Big Ben, ele é lindo, mas nada grandioso. Vá imaginando um reloginho de pulso que vai dar tudo certo. A London Eye fica logo ali.

O Palácio pode ser visitado aos sábados e durante o verão, tem audioguia em português. O ingresso gira em torno de £25 para adultos (tem meia para visitantes de cinco a quinze anos e crianças menores de cinco anos não pagam). Durante a semana, algumas sessões parlamentares são abertas ao público, vale se informar.

Curiosidade: Big Ben não era o nome do relógio, e sim do sino da Elizabeth Tower. Com o tempo, a torre inteira passou a ser conhecida assim. É considerado um dos relógios mais confiáveis do mundo.

Dica: se você acreditar em fadas e se esforçar um pouco, conseguirá ver Peter Pan, Wendy, João e Miguel sobrevoando o relógio. Ok, agora sério: tenta ler Peter Pan antes de ir para Londres, vai ser uma experiência linda. Jabá gratuito: a edição comentada da coleção Clássicos Zahar é maravilhosa.

Estação de metrô mais próxima: Westminster.

3. Abadia de Westminster

Abadia-de-Westminster-Londres

A Westminster Abbey é uma igreja que se tornou anglicana* de arquitetura gótica e localizada no centro de Londres. Ela foi palco do casamento da Kate Middleton e do Príncipe William e do funeral da princesa Diana, em 1997. É lá que acontecem também as cerimônias de coroação do monarca do Reino Unido.

A Abadia de Westminster está aberta para visitação de segunda a sábado, de 9h30 às 15h30. Os ingressos de adulto custam £22, mas comprando pela internet sai por £20. Alguns combos familiares são interessantes, como o de dois adultos e duas crianças por £45. O preço da entrada já inclui o audioguia, que está disponível também em português. Recomendo muito comprar online porque evita fila.

Site para ver os horários no período da sua viagem

Site para comprar ingressos com antecedência

Fica pertinho da London Eye e do Big Ben. Saltando na estação do metrô de Westminster, são cinco minutinhos de caminhada. Do Palácio de Buckingham, cerca de quinze.

* História & babados: ela foi construída em 1050, mais ou menos, e deixou de ser católica no século XVI, depois que o Rei Henrique VIII  aprovou o Ato de Supremacia, que oficializava a Igreja Anglicana (ou Igreja da Inglaterra) e fazia o Rei ser o chefe supremo da Igreja. Por que Henrique VIII rompeu com a Igreja Católica? Senta aí que a história é #top. Ele foi excomungado pelo papa depois que casou com a amante Ana Bolena. O barraco foi que ele pediu a anulação do casamento com a espanhola Catarina de Aragão (que não tinha tido um filho homem para continuar a dinastia Tudor), não ganhou, bateu o pé, casou em segredo com a Ana Bolena e o barraco estava armado. Claro que não foi só isso, a Inglaterra e Roma tinham uns probleminhas que já se arrastavam por anos, mas essa parte não é interessante pro bafão. Enfim: Henrique VIII cansou e disse “aqui não, queridinha” e voilà, habemus Igreja Anglicana, controle total do Estado. Assim, a Abadia de Westminster, principal igreja inglesa, deixou de ser católica e passou a ser anglicana. Para mais infos com uma pitada de drama e não tanta fidelidade histórica, recomendo a série The Tudors (chorei rios quando a Ana Bolena foi decapitada, não recomendo ver com emocional abalado).

Curiosidade: uma galera está enterrada por lá, incluindo os cientistas Isaac Newton e Charles Darwin e o escritor Charles Dickens.

4. Palácio de Buckingham

150624014909_buckingham_624x351_afp

A residência oficial da família real britânica, atualmente é onde a Rainha Elizabeth II mora. Ela acaba se dividindo entre o Palácio e o Castelo de Windsor (falaremos sobre ele em outro post), mas pra todos os efeitos ela mora em Buckingham. É aqui que rola a troca de guarda mais famosa, a furada máxima que você respeita. Acontece todo dia 11h30 (apesar de ter lido em algumas matérias que tinha sido antecipada para 10h45 este ano — vale confirmar mais perto da sua viagem, isso muda muito de acordo com a estação do ano também). Não vale a pena, tá? É a maior muvuca, você não vê nada e ainda sai meio frustrado. Masssss, como a gente não aprende, se quiser ir, recomendo chegar com tipo uma hora de antecedência. Este post tem umas dicas legais de onde ficar para evitar a fadiga.

Entre agosto e o fim de setembro, as portas do Palácio de Buckingham abrem para visitação. Tem que comprar com antecedência, o preço é de cerca de £23 para adultos e a visita é estimada em 2h30. O horário de agosto é de 9h30 às 19h30 e o de setembro é de 9h30 às 18h30.

Vale a pena dar uma passeada por lá, é muito bonito. Uma das coisas que você tem que fazer uma vez na vida na cidade. Para chegar, você pode saltar na estação Vitoria, na St. James Park ou Green Park e dar uma andadinha. Os arredores são bem verdes e agradáveis, se programe para caminhar com calma.

5. Torre de Londres

Tower_of_London_viewed_from_the_River_Thames

A Torre de Londres abriga a exposição das jóias da coroa britânica. Ela participou da história da Inglaterra de diversas formas: já foi casa da moeda, residência real, abrigou a exposição de animais do reino (presentes de outras nações), foi local de prisões e execuções… e hoje é um museu e também Patrimônio Mundial da UNESCO.

“If the ravens leave the Tower, the kingdom will fall…”: uma antiga lenda inglesa diz que se os seis corvos que vivem na Torre de Londres saírem de lá, o reino ruirá. Na verdade, a Torre era lar de centenas de corvos, mas eles estavam atrapalhando um astrônomo, que pediu para que fossem retirados. Com medo, Charles II decretou que seis corvos ficariam e teriam cuidados especiais. Hoje, sete corvos vivem na Torre: os seis da lenda e mais um de reserva. Os visitantes podem ver os pássaros, mas não podem chegar muito perto. Ficou curioso? Aqui está um vídeo em inglês mostrando um pouquinho dessa história.

A visita é paga. Para adultos, o ingresso fica em torno de £28 na bilheteria (ou £24 pela internet). O horário de funcionamento varia de acordo com a estação do ano. Você pode clicar aqui para conferir qual está valendo no período da sua viagem.

Dica: acho bom você tirar um dia para fazer a região do porto, a mais moderna da cidade. A Torre de Londres fica por ali e você pode conjugar com a Tower Bridge, Brick Lane (ainda vamos falar dessa rua) e o Borough Market. Por ali também rolam várias padarias fofas e gostosinhas, perfeitas para um café da manhã ou um chá da tarde.

6. Tower Bridge

london-bridge-closed

A Tower Bridge é uma ponte linda construída em cima do Tâmisa e inaugurada em 1894. A arquitetura foi pensada para combinar com a Torre de Londres, que fica ali do ladinho. Ela foi construída porque a London Bridge não estava mais dando conta da quantidade de veículos que começaram a precisar passar por ela no século XIX com o crescimento da cidade. A Tower Bridge oferece passagem para carros, se adapta para a passagem de barcos, e sua passarela, fechada para pedestres, também abriga uma exposição sobre a história da ponte. O ingresso custa £8 e já ouvi dizer que não vale a pena. Para chegar lá, a melhor estação de metrô é a Tower Hill.

7. St. Paul’s Cathedral

st pauls

A St. Paul Cathedral é uma igreja anglicana, assim como a Abadia de Westminster, e fica em Ludgate Hill. Sua cúpula é a segunda maior do mundo, perdendo apenas para a Basílica de São Pedro, no Vaticano, e foi palco do casamento do príncipe Charles com a Lady Di. No lugar em que ela está hoje, ficava a primeira igreja de Londres, que fora construída em 604 d.C. e era feita de madeira. A igreja como conhecemos hoje ficou pronta em 1677.

Curiosidade: o poeta e pintor William Blake está enterrado nela.

Como quase tudo em Londres, paga para entrar.  O ingresso adulto custa £18 na bilheteria (e £16 pela internet). Para chegar lá, a estação de St. Paul é uma boa ideia, fica a apenas dois minutos de caminhada.

8. Metrô/Ônibus

tube

Pode parecer estranho, mas Londres é o único lugar do mundo em que os meios de transporte são atrações turísticas. O ônibus de dois andares são incríveis e vale andar uma vez na vida, mas o metrô de Londres é a melhor coisa da cidade, pra mim. Além de te levar para todo canto (inclusive do aeroporto para o centro), nele você vê todo tipo de pessoa e as melhores apresentações musicais EVER. Recomendo 200% se deslocar com ele algumas vezes, mesmo que, com eu, você prefira fazer tudo a pé.

Aqui tem um mapa grandão do metrô para você já ir se localizando.

.
9. Piccadilly Circus

piccadilly

A Piccadilly Circus é uma praça conhecida como a Times Square de Londres. Sim, exatamente onde Harry, Hermione e Rony aparataram quando fugiam dos comensais da morte durante o casamento de Gui e Fleur (Relíquias as Morte, parte 1) — juro que vou fazer um post só sobre Harry Potter e Inglaterra.

piccadily

Mas voltando: Piccadilly é um dos corações da cidade (Londres é tão amor que tem vários). Por ali fica a Oxford Street, a Regent Street, uma Boots gigante (farmácia maravilinda, #prioridades), os teatros do West End e também a Chinatown. Picadilly é também uma rua que parte da praça Picadilly Circus e vai até o Hyde Park.

Dica: na praça, tem uma loja de souvenir chamada Cool Britania, é impossível não ver. Na primeira vez que fui à cidade, decidi não comprar nada ali porque achei que seria mais caro do que no resto da cidade. Foi um erro. As coisas lá são mais legais e não tão mais caras. Tem camisinha, caneca, blusa de time, mala, blusa do One Direction (#RIP) e tudo que vocês puderem imaginar.

10. Hyde Park

IMG_1032x11

O Hyde Park é um parque de 2,5km² localizado bem no centro de Londres, lembra o Central Park, de Nova York. Ele é considerado um dos parques reais e tem uma ótima infraestrutura: conta com banheiros públicos, restaurantes, atividades turísticas e até espaços de educação. No verão, é o lugar ideal para um piquenique. No inverno, ele abriga o Winter Wonderland, um parque de diversões que mais parece uma festa junina de inverno, haha. Recomendo muito o passeio nas duas épocas do ano, é um lugar muito lindo a garantia de boas memórias (e fotos também!). Para chegar lá, você pode saltar na estação Hyde Park Corner, na Marble Arch  ou ir andando de Picadilly Circus pela rua Picadilly.

Esses são os 10 pontos turísticos que acredito serem os mais importantes e visitados de Londres. Como eu disse, não são os meus preferidos na cidade, mas vamos chegar lá na série de posts sobre Londres que estou começando hoje. Vocês têm sugestões? Deixem aqui nos comentários! :)

Imagens do post retiradas de: visitlondon.com/getyourguide.com/dicadelondres.com.br/ bbc.com/wikipédia/wikimedia.org/vizts.com/mbrochu.com/Simon & His Camera/Mapa de Londres

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s