Bélgica: Bruxelas

Começo já pedindo desculpa por erros de acentuacao e cedilha, estou em Praga e é bem complicado escrever certinho nos computadores, que são o jeito mais rápido, por causa do teclado. Tento consertar pelo celular depois, mas sempre passa alguma coisa.

Bem, já entraram alguns posts sobre Praga no caminho, mas depois de Gent eu fui pra Bruxelas e depois Berlim. Ainda não tinha escrito sobre Bruxelas por não saber como, já que não gostei da cidade e não quero desencorajar ninguém a visitá-la. Minha mãe também não tinha gostado, mas insisti e quis ver com meus próprios olhos. Foi uma ótima ideia, ja vi e não é uma cidade pra qual eu voltaria. Ainda não sei como escrever os posts sobre Berlim, vou pensar sobre isso e ir subindo os de Praga porque já sei que tem gente vindo pra cá logo :)

Cheguei em Bruxelas vindo de Gent de trem, a viagem foi mais ou menos a mesma coisa de Brugge x Gent, demorou uns 35 minutos e custou 6 euros com a minha comprovação de que sou menor de 25 anos. Cheguei na estação Bruxelas Midi e essa é minha primeira dica: Bruxelas tem várias estações de trem, pesquise antes a mais perto do seu hostel. Pois bem, na estação não tinha nenhum mapa da cidade, informação ao turista ou Wi-Fi, as pessoas mal falavam inglês. Um senhor me instruiu a ir em uma estação de metrô porque lá haveria informação ao turista e NADA… O resultado foi eu sozinha vagando pelas ruas de Bruxelas no meio da chuva tentando achar meu hostel. Minha condição lamentável fez um casal de americanos ficar com pena de mim e me dar o mapa deles. Enfim, consegui chegar no hostel, que nem era tão mal-localizado assim.

Fiquei no Giles hotel, até era bom, mas não vou recomendar porque acho que tem melhores pelo mesmo preço. É um hostel grande, tem um bar e as camas são ok. O café da manhã é bem completo e tava incluso no preço. Depois de deixar minhas coisas lá, fui para o centro da cidade usando o metrô, que é bem legal. A essa altura, já estava na hora do almoço e comi minhas amadas batatas-fritas belgas mais uma vez hehe.

image

A comida belga é um capítulo a parte, vale a pena visitar o pais só por isso. No centro, além das batatas, tinham waffles deliciosos por 1 euro e os toppings (frutas, nutella, etc) eram por fora, mas nada muito caro, coisa de centavos. Procurem pela Rue des Boucher, ela tem vários restaurantes que oferecem preços justos.
image

image

A praça é bem bonita, as lojinhas ao redor também, dei azar porque estava chovendo, mas deve ser agradabilíssimo passear por lá em dias de sol. Claro, fui ver o menino fazendo xixi, símbolo da cidade por motivo nenhum haha.
image

Também fui no Museu do Magritte, que é bem legal para quem gosta do artista, paguei 2 euros mostrando que sou menor de 25 anos.

image

Me recomendaram ir ao Museu Real de Bellas Artes ver o quadro Morte de Marat, mas estava chovendo muito e preferi ir para a loja de Delirium, que foi a parte que mais gostei.

A loja da Delirium fica numa vielinha dessa rua cheia de restaurantes, ela tem mais de 4.000 tipos de cerveja  (e Wi-Fi hehe). Nao sou a maior apreciadora de cerveja do mundo, mas tomei a Pink Killer (so porque era rosa mesmo hahaha e gostei).

image

Fiquei só um dia na cidade e não acho que vá encorajar muita gente a ir, desculpem haha. Se eu tivesse que escolher uma cidade na Bélgica, iria pra Brugge. Como não quero ser a chata haha, vou deixar um blog aqui com mais infos sobre comida com mais detalhes e fotos: http://www.fragatasurprise.com/2014/10/delicias-de-bruxelas-onde-comer-muito.html

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s