Bélgica: Brugge

Brugge ou Bruges é uma das cidades mais visitadas da Bélgica, ela tem pouco mais de 115.000 habitantes e a maioria das pessoas que circula pela rua é de turistas. O idioma é o holandês, mas todo mundo fala inglês. Como disse mais cedo, ela parece saída dos Contos de Grimm de tão linda. É uma cidade mediavel superpreservada e um dos motivos é que a cidade é inteira tombada pela UNESCO, ou seja, não pode grafitar e a multa por fazer xixi na rua pode chegar a €150.

image

Cheguei em Brugge vindo de Londres, como já contei no post abaixo. A estação de ônibus e trem (são a mesma) é bem pequenininha, mas todos na cidade são muito simpaticos e solícitos, cheguei, pedi ajuda na informação ao turista e foi tudo ótimo. A cidade é bem pequena, então eu tinha a opção de ir andando ou de ônibus, mas como a mochila estava pesada, decidi pela segunda. O ônibus que vai para o centro é o numero 12, mas é so perguntar por lá certinho. O bilhete custa 3,80 euros (achei carinho!!).

Esse ônibus vai até a praça principal, onde fica a torre de observação e vários restaurantes. A cidade é uma gracinha! Foi a que eu mais gostei da Bélgica (não fui para a Antuérpia — que várias pessoas me disseram também ser incrível), ela é muito arrumadinha e característica, me lembrou um pouco Oxford com um toque de Amsterdam. Como eu disse, a cidade é pequena e fui pra ficar uma noite, mas foi um erro, eu ficaria pelo menos duas da próxima vez. Nao é uma cidade para fazer tudo correndo, é para caminhar e aproveitar, tudo parece ser feito para boneca.

image

image

image
A comida é ótima! Claro, tem as famosas batatas-fritas da Bélgica, que são realmente incríveis. Por lá, as melhores ficam de frente para a Torre de Observação da praça principal, são dois carrinhos, fica aí a dica. Fora isso, também não é difícil encontrar os waffles, chocolates e hambúrgueres. Esse cone da foto é o de morango da Godiva, custa €6,80. Para quem pode gastar um pouquinho mais, diversos restaurantes ficam bem no centrinho, só prestem atenção na hora porque os belgas comem cedo e tudo fecha umas 22h. image

Recomendo muito fazer um Waking Tour pela cidade, eu fiz o da empresa Can you handle it e adorei. Brugge tem vários becos e entradas que só um local para achar! Esse Walking Tour é gratuito, mas sempre rola o momento gorjeta no final, e meu guia era o Nicola, muito gente boa e conhecia todo mundo!

Fiquei no Snuffel Hostel, é um bem grande e moderno na cidade. Como a cidade não tem muita vida noturna por não ter universidade, o hostel é bom por ter um ótimo bar. Não gostei muito dele porque era muito grande e impessoal. Como eu estava sozinha, esse aspecto foi meio ruim. Fora isso, tomada perto da cama, quartos limpos e café da manha ok — pão, geleia, leite, cereal e suco de laranja.
image

image

image

Algumas curiosidades sobre Brugge:

1. Brugge foi a primeira cidade por esses lados da Europa a ter um porto. Como a cidade era muuuuito pequenininha, a maior parte dos habitantes era rica pelos negócios. A cidade era alvo fácil, pois diversas pessoas pensaram em invadir a cidade, matar todo mundo, já que era pouca gente, e ficar com o porto. Percebendo isso, eles decidiram construir uma torre de observação — que não é uma igreja como eu pensava — que ajudava aos moradores a ver quando barcos que não estavam sendo esperados chegavam. Quando viam, os 48 sinos tocavam e os arqueiros se arrumavam em duas pontes opostas para confundirem os invasores. Deu certo, Brugge nunca foi invadida por água!

2. Esses telhados em escadinha têm um motivo. Eram usados pelos limpadores de chaminé para o serviço ser melhor e mais rápido, eles conseguiam pular de um pro outro. Com o tempo, os degraus foram se tornando sinal de status e quanto mais um telhado tem, mais rico é o dono daquela casa.
image

3. Obrigatoriamente, as casas que foram modificadas têm que botar na fachada o ano daquela mudança para avisar que a arquitetura não é original.

4. Ok, essa tem a ver com batata-frita. As batatas são um prato típico daqui e pode ser comida com vários molhos, sendo o mais tradicional a maionese. O curiosioso é que, segundo o guia, na Primeira Guerra, os americanos chegaram na parte sul da Bélgica, que fala francês. Ali, foram apresentados a um prato local, a batata-frita. Os americanos se apaixonaram e quiseram levar isso para os EUA e não sabiam como chamar, então deram o nome do que eles ouviam ao redor: french (francês fries), batata-frita em inglês. Boatos de que se você pedir french fries aqui, as pessoas ficam chateada de verdade hahaha.

5. Aqui os monges produzem cerveja. Um dia, um deles ficou tão louco que esbarrou numa vela e queimou metade de uma catedral. Dá pra ver perfeitamente a diferença dos tijolos da reconstrução.

 

Espero que eu tenha ajudado a convencer você de que a cidade merece ser seu próximo destino! :)

 

Anúncios

2 comentários sobre “Bélgica: Brugge

  1. Um mimo da Holanda, creio que é considerada a mais bela do país…então eles tb tem “eira e beira” e até tribeira..Parabéns pela viagem e pelo relato objetivo e explicativo mas com um toque carinhoso…cuidado com o peso da mochila, procure colocar no máximo 7,5 a 8 kg…e aproveite cada segundo…Bjs

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s